Paróquia

Nossa Senhora das Graças Araraquara - SP

End: Av. La Salle s/n° - Vila Ferroviária - Araraquara, SP
Tel: 16 3336 7520 - par.nossasenhoradasgracas@gmail.com

Horários: Missas de Segunda a Sexta-feira às 19h; Sábados às 18h30min Domingos às 08h, às 10h e às 19h15min

NOVEMBRO: FESTA DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS.

Maria, nossa Mãe, Rainha dos Apóstolos.

Maria, nossa Mãe, mediadora de todas as graças!

Maria, nossa Mãe, seja das Graças, Auxiliadora, das Dores, de Fátima, de Lourdes, do Carmo, Desatadora dos Nós, do Rosário, Aparecida… Maria de muitas denominações… Mãe que nos deu Jesus.

No mundo, ninguém foi apóstolo maior. Por isso é real e merecidamente Rainha dos Apóstolos. Maria: silêncio pleno de encantos… Maria: Mãe, no perene recolhimento em que o Evangelho a apresenta.

Buscamos Maria, a mediadora de todas as graças. Buscamos Maria, na meditação diária da Novena de Nossa Senhora das Graças. Colocamos em seu colo virginal todas as nossas querências, as nossas necessidades, as nossas aflições, os nossos pedidos. A Mãe acolhe-os com benevolência e leva-os ao Filho: Jesus. E torrentes de bênçãos são derramadas sobre filhos e filhas tão amados, especialmente sobre aqueles que declaram seu amor a Nossa Senhora, através da meditação do rosário.

Papa Bento XVI assim se manifestava: “Maria ensina a contemplar Jesus, com os olhos do coração e a viver d’Ele.”

É preciso viver Maria, vivendo bem cada momento presente. O momento presente é a manifestação da dívida vontade.

Maria revela-nos um silêncio pleno de encantos. Deu-nos Jesus, o Verbo. Então curvemo-nos diante de Maria, nessa belíssima novena das Graças,  terço na mão, coração no infinito. Sejamos fiéis a Maria! Seremos fiéis a Jesus.

O lugar de Maria é o de Rainha, já o proclamou o Papa Pio XII.

Dando voz à Lubich (1972, p. 125-126):

“Também hoje, Maria deverá conduzir uma guerra. Há tanta treva neste mundo, há tanto ódio, há tantas perseguições à sua Igreja, de cujos membros é Mãe, que não poderá ficar impassível, exatamente porque a sua é uma realeza maternal.

E não podendo Ela mesma voltar à terra, haverá de mobilizar os seus filhos fiéis para esta batalha. Quando no mundo se ouviu falar d’Ela pela primeira vez, foi para ser apresentada aos nossos primeiros pais como vencedora de uma luta; e a Imaculada, que eleva o olhar ao Céu, refletindo em seus olhos puríssimos a beatitude serena do paraíso, traz sob seus pés a serpente esmagada.”

Carlos / Terezinha Bellote Chaman (PASCOM Nossa Senhora das Graças )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *