Paróquia

Nossa Senhora das Graças Araraquara - SP

End: Av. La Salle s/n° - Vila Ferroviária - Araraquara, SP
Tel: 16 3336 7520 - par.nossasenhoradasgracas@gmail.com

Horários: Missas de Segunda a Sexta-feira às 19h; Sábados às 18h30min Domingos às 08h, às 10h e às 19h15min

 

Quaresma: tempo de viver a cultura do encontro, do serviço, da transfiguração.

Dando voz a Drummond: “[…] As leis não bastam, os lírios não nascem da lei.”

As belas teorias, se não tornadas práticas, de nada servem. Assim, a Quaresma pede-nos a conscientização, o compromisso, a prática das leis, a ação da Palavra. O mundo, na pessoa de nós homens, tem sede de Vida, de reconstrução interior, de verdade, de perdão, de Amor, que se traduza em partilha, em fraternidade.

Papa Francisco alerta-nos: “Não serve para nada encher de gente os lugares de culto, se nossos corações estão vazios do temor de DEUS e de sua presença; de nada serve rezar, se nossa oração, que se dirige a DEUS, não se transforma em amor ao irmão; de nada serve tanta religiosidade, se não está animada, ao menos, por igual fé e caridade; de nada serve cuidar das aparências, porque DEUS olha a alma e o coração. Para DEUS, é melhor não acreditar do que ser um falso crente, um hipócrita. A verdadeira fé é a que nos faz mais caridosos, mais misericordiosos e mais honestos.” (Homilia no Egito, 2017).

A Campanha da Fraternidade 2019: Fraternidade e Políticas Públicas “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27) objetiva fazer-nos não apenas um belo convite, mas um convite vivencial, um convite que se transforme em atos concretos de serviço. E vai mais além, desperta-nos para a questão das Políticas Públicas, relacionadas às ações que visam ao desenvolvimento da sociedade, em vários campos: econômico, político, financeiro, tecnológico, estrutural, social, humanitário, ambiental, entre outras. As Políticas Públicas são ações planejadas a partir das demandas sociais e, embora sejam de competência do Estado, não podem e não devem tornar-se decisões autoritárias do governo para a sociedade. Ao contrário, as Políticas Públicas envolvem relação de reciprocidade e a articulação dos conselhos representativos.

Assim sendo, somos convidados a não cruzarmos os braços, nem individual e nem socialmente; somos convidados a declinarmos da cultura da aparência e adotarmos, em verdade, a cultura das coisas do alto, que não passam e nos fazem fraternos e verdadeiramente livres. A cultura da corrupção é passageira, não liberta, ao contrário, escraviza. Quem está no poder, representando-nos, deve agir como aquele que serve, incrementando relações e ações necessárias e verdadeiras entre os governados, seja em nível municipal, estadual e federal. Por fim, dando voz ao Papa Francisco: “Quaresma é tempo para reencontrar a rota da vida”.

Terezinha Bellote Chaman, Prof.ª, Dr.ª

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *